Três brasileiros disputam o título mundial em Pipeline.
Três brasileiros disputam o título mundial em Pipeline.

Três brasileiros disputam o título mundial em Pipeline.

Italo Ferreira campeão na Gold Coast. Foto: Kelly Cestari / WSL 

IMG_1539

Começa neste domingo, o prazo da grande final do World Surf League Championship Tour 2019, que vai decidir o campeão mundial da temporada no maior palco do esporte, Banzai Pipeline, na ilha de Oahu, Havaí. Os brasileiros vêm dominando o circuito mundial nos últimos anos e chegam no Billabong Pipe Masters, com três surfistas entre os cinco únicos concorrentes ao título. O potiguar Italo Ferreira lidera o ranking e tenta conquistar seu primeiro troféu de melhor do mundo. Gabriel Medina busca o tricampeonato e está em segundo, com Filipe Toledo em quarto lugar. O terceiro é o sul-africano Jordy Smith e Kolohe Andino está em quinto, com chances bem remotas. A batalha principal será mesmo entre os brasileiros.
Italo Ferreira bicampeão no MEO Rip Curl Pro Portugal (Foto: Damien Poullenot / WSL via Getty Images)
As previsões das ondas estão boas para a semana que vem em Banzai Pipeline, mas antes será disputada a triagem para definir o terceiro adversário dos líderes do ranking. Ambos já têm outros brasileiros em suas primeiras baterias no Billabong Pipe Masters. Italo Ferreira volta a competir com a lycra amarela do Jeep Leaderboard no sexto confronto da primeira fase, junto com o cearense Michael Rodrigues. Gabriel Medina entra antes, na quinta bateria, com o catarinense Willian Cardoso. Já Filipe Toledo está na terceira, com o também paulista Deivid Silva e o neozelandês Ricardo Christie.
O potiguar de Baía Formosa tirou a lycra amarela do Gabriel Medina duas vezes esse ano, quando venceu a primeira etapa da temporada na Gold Coast (AUS) e no bicampeonato no MEO Rip Curl Pro Portugal. No entanto, a disputa entre Italo com o defensor do título do Billabong Pipe Masters e Filipe Toledo, será quase fase a fase no Havaí. Italo é o único que fez quatro finais nas dez etapas deste ano, contra três do Medina e três do Toledo.
Italo Ferreira campeão na Gold Coast (Foto: Kelly Cestari / WSL via Getty Images)
Italo Ferreira largou na frente, com a vitória sobre o americano Kolohe Andino no Quiksilver Pro Gold Coast, que abriu o WSL Championship Tour 2019 na Austrália. Depois, foi vice-campeão na final brasileira com Gabriel Medina no Corona Open J-Bay na África do Sul e no Quiksilver Pro France, vencido pelo francês Jeremy Flores. O potiguar fez uma “perna europeia” impecável, para assumir a dianteira na corrida do título mundial com a segunda vitória seguida em Portugal, batendo Jordy Smith com um show na final em Supertubos.
Gabriel Medina entrou na briga pelo tricampeonato mundial, com três finais consecutivas no meio da temporada. Começou com sua primeira vitória nas longas direitas de Jeffreys Bay. Na segunda, o australiano Owen Wright vingou a derrota sofrida para ele no Tahiti Pro Teahupoo do ano passado. E a terceira foi no Freshwater Pro, quando foi bicampeão no Surf Ranch, tirando a lycra amarela de Filipe Toledo, que ficou em segundo de novo. Na perna europeia, não passou das oitavas de final nos dois eventos e perdeu a liderança para Italo Ferreira.
Gabriel Medina campeão em J-Bay (Foto: Ed Sloane / WSL via Getty Images)
Dos três brasileiros que vão disputar o título mundial no Billabong Pipe Masters, o único com apenas uma vitória é Filipe Toledo, que igualou um recorde histórico da etapa brasileira no Rio de Janeiro, ao conquistar o tricampeonato no Oi Rio Pro, vencendo as duas edições realizadas em Saquarema em 2018 e 2019. A outra foi Barra da Tijuca em 2015. Antes do Brasil, Filipe tinha sido vice-campeão no Rip Curl Pro Bells Beach e, depois, no Freshwater Pro no Surf Ranch, nas etapas vencidas por John John Florence e Gabriel Medina, respectivamente.
MATEMÁTICA DO TÍTULO – A diferença de pontos entre os quatro primeiros colocados é bem pequena, não chega a 2.000 pontos. Italo Ferreira está na frente com 51.070, seguido por Gabriel Medina com 50.005, Jordy Smith com 49.985 e Filipe Toledo com 49.145. Kolohe Andino é o quinto com 44.665.  Para ultrapassar a pontuação atual do potiguar, Medina e Filipe precisam chegar nas oitavas de final e Jordy nas quartas de final, enquanto Kolohe já necessita ser finalista do Billabong Pipe Masters para isso.
Gabriel Medina bicampeão no Surf Ranch e Filipe Toledo (Foto: Kelly Cestari / WSL via Getty Images)
Os três brasileiros e o californiano, têm 1.330 pontos de um 17.o lugar para trocar nesta última etapa. Já o descarte do sul-africano é maior, 3.320 pontos de um nono lugar. Se Italo Ferreira passar duas baterias, troca os pontos da terceira fase por 3.320 e atinge 53.060 no ranking. Medina segue na disputa fase a fase e supera o potiguar se passar para as quartas. Filipe terá que chegar nas semifinais, Jordy na grande final e Kolohe somente com a vitória.
Italo entrou na elite do CT em 2015 e, em quatro participações no Billabong Pipe Masters, só passou da terceira fase uma vez, em 2017, quando ficou em quinto lugar nas quartas de final. Se repetir esta sua melhor atuação nos tubos de Pipeline, Kolohe sai da briga e Medina terá que chegar nas semifinais, para ultrapassar os 54.485 pontos que o potiguar passaria a somar. Filipe já precisaria ser finalista pela primeira vez em Pipeline e Jordy da vitória.
Filipe Toledo tricampeão no Oi Rio Pro (Foto: Damien Poullenot / WSL via Getty Images)
Caso Italo Ferreira consiga seu melhor desempenho no Havaí, avançando para as semifinais, Medina terá que chegar na final para conseguir o tricampeonato e Filipe e Jordy necessitarão da vitória para superar os 55.825 pontos do líder. E se chegar na grande final, o potiguar só não festejará seu primeiro título mundial se a decisão for brasileira, entre ele e Gabriel Medina, ou Filipe Toledo. Aí, o vencedor do Pipe Masters será o campeão mundial de 2019.
OLIMPÍADAS 2020 – Além da briga pelo título, os três também estarão disputando em Pipeline, as duas vagas do Brasil para a estreia do surfe nos Jogos Olímpicos de Tokyo 2020. O ranking da World Surf League indica dez surfistas, limitado a dois por país. Os dois que ficarem na frente, se classificam para disputar medalhas para o Brasil no Japão. Apenas quatro já estão confirmados, Jordy Smith pela África do Sul, Kolohe Andino pelos Estados Unidos, Kanoa Igarashi pelo Japão e Jeremy Flores pela França.
Filipe Toledo tricampeão do Oi Rio Pro (Foto: Damien Poullenot / WSL via Getty Images)
Em sétimo no ranking, Owen Wright está praticamente garantido e a outra vaga da Austrália será disputada por Julian Wilson e Ryan Callinan, que ocupam a 11.a e 12.a posições, respectivamente. Kelly Slater ainda tem chances matemáticas de conseguir a segunda dos Estados Unidos, mas John John Florence, que estava contundido, vai defender a vaga no Billabong Pipe Masters. O taitiano Michel Bourez também está praticamente confirmado para representar a França, pois seu concorrente, Joan Duru, está bem abaixo no ranking.
VAGAS NO CT 2020 – Também no Billabong Pipe Masters, será finalizada a lista dos top-34 para a disputa do título mundial de 2020 no World Surf League Championship Tour. Os dez indicados pelo WSL Qualifying Series já foram definidos e o Brasil conquistou metade das vagas, com o potiguar Jadson André (2.o do ranking), o catarinense Yago Dora (3.o) e os paulistas Alex Ribeiro (6.o), Miguel Pupo (7.o) e Deivid Silva (10.o).
Gabriel Medina bicampeão mundial com vitória no Pipe Masters 2018 (Foto: @WSL / Ed Sloane)
Mais quatro também estão garantidos na “seleção brasileira” de 2020, entre os 22 primeiros no ranking do CT que são mantidos na elite, os três concorrentes ao título mundial, Italo Ferreira, Gabriel Medina e Filipe Toledo, além do paulista Caio Ibelli, que confirmou seu nome durante a “perna europeia”. Outros quatro estão na rabeira dos top-22, na briga direta pelas últimas vagas. Deivid Silva é o 21.o colocado e o paranaense Peterson Crisanto fecha a lista, em 22.o lugar. O 23.o é o catarinense Willian Cardoso e o cearense Michael Rodrigues o 24.o.
Deivid Silva está mais tranquilo, por ter vaga também no G-10 do QS para utilizar, caso saia dos top-22 do CT. Já o Peterson, o Willian, o Michael e até o paulista Jessé Mendes, em 28.o lugar, a única chance de se manterem na divisão principal do Circuito Mundial, é conseguir um bom resultado no Billabong Pipe Masters. Willian e Michael precisam chegar nas oitavas de final e vão encarar os líderes do ranking nas suas estreias em Pipeline. E Jessé já tem que chegar nas quartas de final, para superar os atuais 20.290 pontos do último da lista, Peterson Crisanto.
O prazo do Billlabong Pipe Masters começa no domingo e vai até 20 de dezembro no Havaí. Acompanhem a grande final do World Surf League Championship Tour 2019 pelo www.worldsurfleague.com e Facebook Live e aplicativo da World Surf League. No Brasil, a decisão do título mundial também será transmitida ao vivo pelos canais ESPN.
—————————————————————— ——————————————————————
SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América Latina, Havaí, Europa e Japão.
A WSL vem promovendo os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 230 eventos globais masculinos e femininos no ano para definir os campeões mundiais do World Surf League Championship Tour, Big Wave Tour, Redbull Airborne, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, além do WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, enquanto incentiva a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.
Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis da WSL. A World Surf League é pioneira em streaming online para uma enorme legião de fãs apaixonados e interessados em ver as grandes estrelas, como Kelly Slater, Stephanie Gilmore, John John Florence e muitos brasileiro, como Gabriel Medina, Adriano de Souza, Filipe Toledo, Italo Ferreira, Silvana Lima, Tatiana Weston-Webb, competindo no campo de jogo mais dinâmico e imprevisível de todos os esportes no mundo.
Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com
Por: Surf Today / fonte: 
João Carvalho – WSL Latin America Media Manager
(48) 999-882-986 – jcarvalho@worldsurfleague.com
Circuito Mini Kalzone Surf Talentos Oceano:sempre muita responsabilidade socioambiental!
Circuito Mini Kalzone Surf Talentos Oceano:sempre muita responsabilidade socioambiental!

Circuito Mini Kalzone Surf Talentos Oceano:sempre muita responsabilidade socioambiental!

Foto: Marcio David
02 SOCIOAMBIENTAL
No próximo final de semana (07 e 08 de dezembro) será realizada a última etapa do Circuito Mini Kalzone Surf Talentos Oceano 2019 na praia da Vila, em Imbituba. Este Circuito trabalha com a nova geração do surfe brasileiro e faz questão de contribuir com a formação cidadã destes atletas e de todos os surfistas.
NÓS CUIDAMOS DE IMBITUBA!
Durante o planejamento do evento, a Swell Eventos entrou em contato com a ASI (Associação de Surf de Imbituba) para alinhar as ações socioambientais do evento, porém, a ASI é uma associação muito atuante na pauta socioambiental e já estava engajada na realização da ação NÓS CUIDAMOS DE IMBITUBA, junto à outras organizações do município.
Desta maneira, o Circuito Surf Talentos e os projetos socioambientais que o acompanha durante todo o ano, como o Keep the Ocean Blue, a Eco Local Brasil, o Selo CarbonOk e a empresa Meu Copo Eco, decidiram participar e somar à esta grande iniciativa do pessoal Imbituba.
IMBITUBA: CAPITAL NACIONAL DA BALEIA FRANCA
Foi convidada para participar desta etapa do Circuito Surf Talentos a coordenação da Rota da Baleia Franca (RBF), que topou na hora. A Rota da Baleia Franca é um destino turístico que integra os municípios de Garopaba, Imbituba e Laguna, onde você encontra lindas praias, trilhas, muita história, cultura e paisagens deslumbrantes, além de muito surfe. Entre os meses de julho e novembro a RBF recebe a visita das majestosas baleias francas e se torna o local ideal para realizar observação de baleias. Saiba mais: http://rotabaleiafranca.com.br/ .
Imbituba é a Capital Nacional da Baleia Franca e faz parte do destino turístico Rota da Baleia Franca, assim, a RBF produziu uma parede da lona do Centro Técnico para doação à ASI, com uma imagem cedida pelo Instituto Australis. A imagem ilustra a cauda de um filhote de baleia franca no litoral da Rota. A imagem foi produzida para a baleia ser impressa no tamanho real, onde as pessoas poderão conhecer o tamanho correto do filhote de baleia e fazer fotografias com a proporção real. Um filhote mede aproximadamente 5 metros de comprimento.
A RBF também cederá um artista local para fazer pinturas de baleias nas pranchas da premiação durante o evento. Rafael Haesbaert é nativo da comunidade do Farol de Santa Marta, Pescador, Artista e Surfista local, pinta pranchas para Shappers e surfistas locais da região, pinta quadros, telas e faz arte em paredes, principalmente voltados a temas como surfe, paisagens e baleia. Com a criação da RBF e a atuação do SEBRAE/SC na região, viu a oportunidade de se formalizar e aproveitar essa valorização da cultura e qualificação do turismo local.
“Quem não quer viver do que mais ama?! A Rota da Baleia Franca está vindo pra acrescentar bastante no nosso cotidiano, até na preservação das nossas praias! Está abrindo novas oportunidades, até para as pessoas das comunidades, pessoas que querem se envolver no turismo, mas não sabem como fazer algo diferenciado. Muita coisa boa acontecendo, em muito pouco tempo”, diz Rafael.
AÇÕES DO DIA 08!
            No dia 08 de dezembro, simultaneamente à competição do Surf Talentos, será realizada a ação NÓS CUIDAMOS DE IMBITUBA. Esta iniciativa é coletiva e planejada por diversos grupos e associações, que visam a união por uma cidade mais limpa e sustentável. Será realizada uma mega operação de proteção e recuperação dos ambientes naturais de Imbituba, demonstrando amor e respeito pela cidade.
A organização pede para as pessoas irem preparadas para ajudar no plantio e doação de mudas nativas, limpeza e diagnóstico do lixo na praia, colocação de placas educativas, proteção de dunas e restingas, pinturas em pranchas, e muito mais!
Todas as ações acontecerão simultaneamente, a partir das 10h da manhã, e durarão até o final de tarde. Estão participando da ação:
  • Associação de Surf de Imbituba
  • Instituto Ecosurf – Santa Catarina
  • Keep The Ocean Blue
  • Instituto Australis
  • Instituto Monitoramento Mirim Costeiro
  • ONG Eco Local Brasil
  • Projeto PLANTE
  • Projeto de Monitoramento de Praias – PMP/ UDESC Laguna
  • Lets Go Surfinggirls
  • Surfe Feminino em Movimento
  • Ser Humano Surf
  • Conselho Comunitário da Ibiraquera
  • Movimento Rosamor
  • Rota da Baleia Franca
  • Swell Eventos
  • Açaizeiro
  • Movimento Fora Cattalini.
E NO SÁBADO?
            No sábado o evento estará com o estande do Projeto Keep The Ocean Blue, que oferece equipamentos para as pessoas que quiserem “pagar o seu ingresso”.
            “Pague Seu Ingresso” é um lema instituído pelo Projeto Keep The Ocean Blue, que cativa às pessoas que utilizam gratuitamente as praias à “pagarem o seu ingresso” recolhendo um pouco do lixo da praia, contribuindo para ela ficar mais limpa.
            Haverá também a doação de 50 mudas de árvores nativas na região neste estande, para manter Imbituba mais verde.

FESTA OFICIAL – DAZARANHA
A banda Dazaranha comandará a Festa Oficial da final do Circuito Mini Kalzone Surf Talentos Oceano 2019, que será realizada na noite do dia 07, no Imbituba Atlético Clube. A festa também marcará a abertura oficial do verão no município.

COMPETIÇÃO: INSCRIÇÕES e CATEGORIAS!
A Swell Eventos entrou no clima de Black Friday e está baixando o valor das inscrições para este evento, inovando no surfe competitivo, em busca de facilidades para a nova geração de Surfistas brasileiros.
As inscrições são limitadas e deverão ser realizadas junto à FECASURF (Federação Catarinense de Surf), a preço promocional de Black Friday! Maiores informações por meio do telefone (48) 30251880 ou do e-mail fecasurf@fecasurf.com.br.
As categorias do Circuito Surf Talentos em disputa são: Feminino (Sub12, Sub16 e Open); Masculino (Sub10, Sub12, Sub14, Sub16 e Sub18). Em parceria com a ASI (Associação de Surf de Imbituba), serão oferecidas também as categorias Masculinas Open e Master.

TRANSMISSÃO AO VIVO
O evento será transmitido ao vivo pelo Canal do Youtube da Swell Eventos: https://www.youtube.com/channel/UCTiUL9vUfMaKf9hsTKpbWFw/featured?view_as=subscriber .

PARCEIROS DA ÚLTIMA ETAPA DO SURF TALENTOS
O Circuito é apresentado pela rede Mini Kalzone e patrocinado pela marca Oceano Surfwear. Copatrocinam o Circuito: Sibon Charters; Banana wax; Kabral Centro Automotivo. Apoio: Meu Copo Eco; Studio DoZero; Keep The Ocean Blue; Eco Local Brasil.
Nesta etapa o Circuito conta também com o patrocínio da Prefeitura Municipal de Imbituba e o apoio local de: JR Surfboards; Hotel Henrique Lage; Churrascaria Boio Preto; Sicred; Corpo de Bombeiros Militares de Imbituba; Rota da Baleia Franca.
Realização: Swell Eventos e ASI (Associação de Surf de Imbituba), sob supervisão da FECASURF (Federação Catarinense de Surf).
CERTIFICAÇÕES
            O Circuito conta com o Selo CarbonOk, que atesta pela neutralização das emissões de gases de efeito estufa na atmosfera. Também conta com o Selo Consciência Circular, que atesta pela boa gestão dos resíduos sólidos dos eventos, que contam com coleta seletiva. A empresa MEU COPO ECO nos disponibiliza os seus copos reutilizáveis para eliminar o uso de descartáveis. Os troféus serão feitos com resíduo de limpezas de praia e restos de produção da marca Oceano Surfwear.
01 CARTAZ
Por: Surf Today / fonte:  SWELL EVENTOSunnamed
Final de semana de títulos no encerramento do Circuito Silverbay na praia da Ferrugem.
Final de semana de títulos no encerramento do Circuito Silverbay na praia da Ferrugem.

Final de semana de títulos no encerramento do Circuito Silverbay na praia da Ferrugem.

Feminino Sub-16. Foto: Basilio Ruy

cinza
Mais uma temporada do surf amador chegou ao fim em Santa Catarina, com o encerramento do Surfland apresenta Circuito Silverbay SCTour Fecasurf 2019. A etapa reuniu mais de 120 atletas na praia da Ferrugem, em Garopaba(SC), mostrando o porque é considerado um dos circuitos amadores mais prestigiados do país.
O capítulo decisivo do SCTour Fecasurf 2019 foi escrito em Garopaba(SC) neste último final de semana, com a definição dos campeões estaduais de surf amador de Santa Catarina. O Circuito Silverbay de Surf foi apresentado pela Surfland, e mais uma vez reuniu os melhores atletas do país, reunidos nas 10 categorias em disputa, além do Surf Adaptado, incluído pela organização desde a segunda etapa no meio do ano.
José Muniz, campeão catarinense Open 2019. Foto: Basilio Ruy/PP07
Mesmo com ondas pequenas, a Ferrugem proporcionou bons momentos durante a competição, com sér]ies de 0,5 metro abrindo até a beira, variando de acordo com o horário da maré. As condições foram mais afetadas no domingo, quando o tempo virou com a entrada do vento sul, exigindo bastante dos competidores, que tiveram que colocar a prova o resultado de seus esforços e treinamentos diários.
Cinco categorias conheceram seus campeões estaduais no sábado, ficando o domingo exclusivo para as divisões de base, Adaptados e o surf feminino. Mesmo após a sequência de eventos pelo estado, a etapa da Silverbay praticamente preencheu todas as vagas abertas para a disputa, mostrando o respeito conquistado por seus eventos realizados nos últimos anos.
Sábado de verão e títulos na Ferrugem:
A abertura da etapa teve a cara da próxima estação: sol, calor e praia lotada. Alguns atletas conquistaram pela primeira vez um título estadual, colocando seus nomes na galeria de campeões amadores da Fecasurf.
O título da Sub-12 do circuito em 2019 foi decidida na última bateria do ano, numa disputa direta entre Gabriel Ogasahara e Antonio Vitorino, que chegaram empatados para esta última etapa. Quem chegasse na frente, seria o campeão. Melhor para Vitorino, que chegou em segundo lugar, uma posição a frente de Ogasahara . Foto: Basilio Ruy/PP07
O primeiro deles foi Luã Silveira, que finalizou a temporada como o novo número 1 Sub-18 do surf catarinense, após uma disputa dramática definida no final da bateria. Walley Guimarães liderava o confronto, e se mantivesse o resultado, se consagraria campeão estadual da categoria.
Foi quando Tayron da Silva saiu de quarto para primeiro lugar, após uma esquerda salvadora e sacramentar a vitória, jogando Walley para segundo. Luã ficou em terceiro, resultado que lhe deu o título de campeão do ranking Sub-18 Junior, por uma diferença de 800 pontos em relação ao segundo colocado Walley Guimarães.
Em um ranking paralelo valendo apenas três etapas para o circuito Silverbay, o campeão Junior levará uma passagem para o Peru, e Luiz Mendes se deu melhor.
Mais uma vez a praia da Ferrugem estava um espetáculo durante uma etapa do Circuito Silverbay de Surf. Foto: Basilio Ruy/PP07.
Na sequencia, foi a vez da Master, e Jussemir Junior entrou na decisão com o título praticamente assegurado. A larga margem de pontos após duas etapas realizadas, lhe deu tranquilidade para a disputa, e mesmo assim não faltou emoção em sua reta final. Fernando Santiago estava próximo da vitória, quando Jussemir veio para sua cartada final e virou o resultado a seu favor. Ambos são companheiros de equipe, e pode-se dizer que o troféu de campeão da etapa ficou em casa.
Luiz Mendes é um colecionador de títulos estaduais da Fecasurf. Ele foi bicampeão Sub-14 em 2016 e 2017, campeão Sub-16 em 2018, e repetiu o feito em 2019, levando novamente o caneco para Balneário Barra do Sul(SC), litoral norte do estado. “Feliz com mais esse título e poder igualar essa façanha ao inesquecível Jean da Silva, que é meu ídolo”, declarou Mendes.
A excelente premiação das etapas realizadas pela Silverbay é um dos grandes atrativos das etapas em Garopaba, assim como a organização e o profissionalismo. Tales Andrade é o cara por trás disso tudo, junto com as empresas parceiras dos circuito, hoje, um dos mais conceituados do país.. Foto: Basilio Ruy/PP07
A mudança de guarda se fez presente na categoria Sub-14, com mais um “rookie” chegando ao seu primeiro título de expressão. Após bater na trave por alguns anos, Noah Machado alcançou seu objetivo finalizando as três etapas do SCTour Fecasurf 2019 como o novo campeão Iniciantes.
Ele empatou com Anuar Chiah, que por ser paranaense, não pode pontuar no ranking estadual catarinense. Falando em Anuar, ele venceu essa categoria, a primeira de suas três vitórias nesse final de semana iluminado em Garopaba. Noah cravou a segunda posição e o título estadual, feito bastante comemorado pelo garoto nascido no Hawaii, filho de brasileiros.
A Open fechou o sábado de decisivo, com José Muniz faturando seu primeiro título de campeão no circuito Fecasurf. Muniz iniciou a reta final com uma quinta colocação na primeira etapa do SCTour na Mole, e venceu a segunda no pico do Novo Campeche.
Com a derrota prematura na semifinal do até então líder do ranking Ramiro Rubim, o caminho se abriu de vez para Muniz, que confirmou a boa fase que atravessa, vencendo a etapa e marcando a maior nota do evento (9 pontos na final), e se tornando o novo campeão SCTour Fecasurf 2019.
Últimos campeões do ano:
Após um sábado de verão e praia lotada, o último domingo do Circuito Silverbay SCTour Fecasurf contou com tempo fechado, vento sul e ondas pequenas, porém surfáveis. Na programação do dia, a conclusão das seis categorias restantes, incluindo os atletas da base, surf feminino e adaptados.
José Muniz comemorando o inédito título de campeão catarinense Open.. Foto: Basilio Ruy/PP07
As meninas abriram as finais com a Feminino Open. Após vencer o Interassociações na semana anterior, Lara Raupp conquistou mais um título expressivo, levando a etapa na Feminino Open. Com a terceira colocação nesta etapa, e duas vitórias nos eventos anteriores, Kiany Hyakutake sagrou-se campeã estadual 2019.
Em seguida vieram às meninas da Sub-12. Após dois vice-campeonatos nas etapas anteriores, a Maria Amélia Autuori interrompeu a sequencia de vitórias de Isabelle Nalu, que terminou em segundo lugar e conquistou o primeiro título de sua carreira como campeã Fecasurf 2019 na Sub-12 Feminina.
Foi o primeiro ano de Isabelle Nalu competindo integralmente um circuito amador de surf, e já começou bem. Campeã catarinense Feminino Sub-12 de 2019. Foto: Basilio Ruy/PP07
Fechando as categorias femininas, Pamella Mel foi a melhor e comemorou a vitória na Sub-16, após ficar chateada com a derrota sofrida na decisão da Feminino Open. Mesmo com a derrota na semifinal, a 5ª colocação foi o suficiente para Ana Luiza Romão assegurar mais um título estadual.
O circuito catarinense para surfistas Adaptados ainda não foi encerrado, e a etapa da Ferrugem valeu pontos para o ranking da categoria. Quem se deu melhor foi Fidel Teixeira, campeão 2019 do Circuito Silverbay.
Um dos nomes desse final de semana foi o paranaense Anuar Chiah, que venceu as três categorias que disputou. Ele já havia conquistado a Sub-14 no sábado, e no domingo arrematou mais dois troféus de primeiro: na Sub-12 e Sub-10. Por ser paranaense e não residente em Santa Catarina, ele não pode pontuar no ranking estadual, mas pode levar os prêmios.
Mesmo sem pontuar no ranking catarinense por não residir no estado, Anuar Chiah é presença certa nos principais eventos amadores em Santa Catarina. Ele foi um dos destaques dessa última etapa, vencendo as três categorias que disputou . Foto: Basilio Ruy/PP07
Foi o caso da Sub-10, uma das baterias mais acirradas da competição. A vitória de Chiah veio na segunda metade da disputa, após arrancar dos juízes uma nota 8. A jovem promessa catarinense Yuri Gabriel chegou a liderar o confronto, mas acabou em segundo lugar na etapa, o que lhe confirmou o título da sua divisão, primeiro do garoto.
A última final do circuito estadual 2019 trouxe dois atletas empatados na liderança com 18 mil pontos: Gabriel Ogasahara e Antonio Vitorino, e quem ficasse a frente do outro ganhava. Até a primeira metade a disputa foi parelha, com Vitorino achando uma esquerda mais manobrável e cravar 7 pontos. Mais uma vez Anuar Chiah estava numa decisão, onde acabou vencendo, deixando a briga pelo título no ranking estadual entre os dois oponentes.
Luiz Mendes chegou ao seu quarto título estadual nesse final de semana (foi bicampeão Sub-14 em 2026 e 27, e bicampeão Sub-16 2018 e 19). De quebra, venceu o Circuito Silverbay 2019, paralelo ao SCTour na mesma divisão, e levou uma passagem para o peru pelo feito. Foto: Basilio Ruy/PP07
Ogasahara não manteve a mesma constância de fases anteriores, e abriu caminho para o título estadual de Antonio Vitorino, de Balneário Camboriú na Sub-12 Infantil. Perguntado se sentiu a pressão de ter que decidir um título numa final e a última do ano, o garoto concordou, mas que não o deixou abalar.
Fim de ciclo no comando da Fecasurf:
Essa etapa foi a última vez que Reiginaldo Ferreira, atual presidente da Fecasurf, esteve a frente da entidade numa competição do circuito estadual amador. Reiginaldo sempre foi entusiasta e defensor dessa fórmula de disputa, divididas em SCQS (qualificatória) e SCTour, reunindo os melhores do ranking de cada categoria (os top 16 nas categorias masculinas e as oito melhores nas femininas).
O presidente da Fecasurf Reiginaldo Ferreira chega ao final de sua gestão com seus objetivos alcançados, e com excelente avaliação sobre o trabalho que desenvolveu a frente da entidade. Na foto, junto com Tales Andrade (Silverbay), Vitorino e seu filho campeão estadual Sub-12, Antonio Vitorino.
Com um trabalho solidificado após 4 anos de mandato, a Fecasurf manteve o status de ser uma das principais federações do país, conquistando títulos nacionais e criando circuitos diferenciados que atraem atletas de todo o Brasil. Tudo isso agregando seriedade e transparência em suas ações, fato que Reiginaldo gosta sempre de ressaltar.
Reiginaldo comandou a Fecasurf por 4 anos, e passa o bastão para seu sucessor após as eleições para o cargo na primeira quinzena de dezembro. Pode ser um adeus ou um até breve, quem sabe?
Surfland apresenta Circuito Silverbay2019, última etapa do SCTour Fecasurf 2019.
Patrocínio: Silverbay, Prefeitura Municipal de Garopaba, Pena, Mormaii e Pro- Ilha Surfboards.
Co-Patrocínio: Giesta Incorporadora, Sicredi Garopaba, Coral Biquinis, M&D Surf e Surf Trip RZ Turismo.
Apoio: Pure Sun, Marivan Surf Shop, Tokoro Surfboards, Mil Ervas, Quimikall Surf Reparos, ASG Garopaba, , ASF Fererugem, e SC Bonés
Restaurantes: H2O Sushi Garopaba, Restaurante Zanoni, Guna Made, La Rural Garopaba, Graphite Pizza Bar, Pirao da Fruta, Supermercados Silveira e Bar do Zado.
Pousadas: Beira Mar Ferrugem, Hotel Silveira Eco Village, Residencial Sollar Del Nietto e Diego Imóveis.
Apoio local: ASF, Corpo de Bombeiros de Garopaba, Escola de Surf Onda Azul.
Educação Ambiental: Eco Garopaba
Lonas e Palanque: V8 Comunicação Visual
Supervisão Técnica: Fecasurf.
Divulgação: Waves e Prime.Press07 Assessoria & Comunicação.
Transmissão: Youtube canal Silverbay
Resultados:
Open:
1º- José Muniz
2º- Victor Borges
3ª- Luiz Mendes
4º- José Luiz Melo
Sub-18 Junior:
1º- Tayron da Silva
2º- Walley Guimarães
3ª- Luã Silveira
4º- Luiz Mendes
Sub-16 Mirim:
1º- Luiz Mendes
2º- Luã Silveira
3ª- Caetano Silveira
4º- Léo Casal
Sub-14 Iniciantes:
1º- Anuar Chiah
2º- Noah Machado
3ª- Antonio Vitorino
4º- Davi Glazer
Sub-12:
1º- Anuar Chiah
2º- Antonio Vitorino
3ª- Gabriel Ogasahara
4º- Victor Midon
Sub-10:
1º- Anuar Chiah
2º- Yuri Gabriel
3ª- Michel Demétrio
4º- Enrico Malhado
Master:
1º- Jussemir Junior
2º- Fernando Santiago
3ª- Jorge Correa
4º- Adriano Lemos
Feminino Sub-12:
1º- Maria Amélia Autuori
2º- Isabelle Nalu
3ª- Alexia Monteiro
4º- Luiza Rosa
Feminino Sub-16:
1º- Pamella Mel
2º- Laura Raupp
3ª- Maya Carpinelli
4º- Yasmin Dias
Feminino Open:
1º- Laura Raupp
2º- Pamella Mel
3ª- Kiany Hyakutake
4º- Yasmin Dias
Surf Adaptado:
1º- Fidel Teixeira
2º- Gelder Costa
3ª- Juliano Majolo
4º- Pablo Ortiz
Campeões estaduais do Circuito SCTour Fecasurf 2019:
Open – José Muniz
Sub-18 – Luã Silveira
Sub-16 – Luiz Mendes
Sub-14 – Noah Machado
Sub-12 – Antonio Vitorino
Sub-10 – Yuri Gabriel
Feminino Sub-12 – Isabelle Nalu
Feminino Sub-16- Ana Luiza Romão
Feminino Open – Kiany Hyakutake
Master- Jussemir Juni

Por: Surf Today / fonte: fma noticias